Bagatuna  
Tuna Masculina   Escola Superior de Desporto de Rio Maior

Novembro de 2003



Algumas curiosidades


> A Bagatuna é constituída por Alunos ou ex-alunos do sexo masculino da Escola Superior de Desporto de Rio Maior, devidamente aceites pelos Tunos e Magister da Bagatuna, desde que respeite, aceite e cumpra os seguintes estatutos e também o Código de Praxe, definido pela Comissão de Praxe. Assume-se como um órgão independente de qualquer partido, religião, marca ou ideologia. Representa apenas a sua cidade (Rio Maior), a sua escola (E.S.D.R.M) e, globalmente, as tradições académicas, de acordo com os seus objectivos.

> O nosso reportório é geralmente constituído na sua maior parte, por temas de música portuguesa, embora possam e devam ser incluídos temas originais ou adaptações de outros tipos de música em harmonia com o estilo de música praticado pela Bagatuna. Os instrumentos são também os mais tradicionais, o que exclui, em princípio, qualquer tipo de instrumento eléctrico ou electrificado.

> A Bagatuna encontra-se dividida em 4 grupos que diferem entre si pelo estatuto que cada um representa dentro da tuna. Esses grupos são, por ordem crescente de importância: Projectos de animal, Animal, Bagatuno e Tuno.

Estas hierarquias dentro da tuna nada tem a ver com as hierarquias definidas em código de praxe, definidas pela Comissão, prevalecendo e sobrepondo-se às mesmas.

> São oficialmente considerados elementos da Bagatuna todos os que pertencem a esta, desde que pelo menos tenham atingido o estatuto de animal.

>  O traje do tunante é composto pelo traje académico definido no código de praxe, estipulado pela comissão de praxe da Escola Superior de Desporto de Rio Maior estando sujeito a alterações acordadas entre os dois principais órgãos envolvidos.

> Os tunos membros da Bagatuna, para além do traje académico definido no código de praxe usam também um gorro tradicional dos salineiros da Cidade de Rio Maior., tendo como objectivo não só de  representar as tradições de Rio Maior e a importância que as salinas e o salineiro têm para a cidade, como também, distinguir os Tunos dos restantes tunantes, diferenciando o seu estatuto e importância na tuna. 

Os Tunos têm como função ajudar o Magister a gerir a tuna, trabalhando com ele em conjunto, devendo ser um exemplo a seguir por todos os outros tunantes. A sua principal função consiste em transmitir a Projectos de Animais, Animais e Bagatunos os seus conhecimentos dotando-os das capacidades necessárias à  sua eventual passagem a Tunos. 


> Os bagatunos e animais usam o traje académico definido no código de praxe, sendo  que, apenas os animais usam a gravata do mesmo ao contrário.

> O traje do Projecto de Animal é composto por uma túnica, tipo monge, umas calças pretas, uns sapatos clássicos e uma camisa preta.

> Para colmatar, podemos dizer que todos estes (excepto os projectos de animal), se fazem representar por um pin da Bagatuna que consiste numa pipa em miniatura, de modo a representar o seu principal símbolo, a pipa de bagaço.

Os Projectos devem ser ajudados por todos os tunantes e acompanhados especialmente pelo Chefe dos Animais, na sua aprendizagem vocal, instrumental e na sua inserção pessoal no espírito da Bagatuna.

Os Projectos não podem ser praxados por Animais, poderão apenas ser praxados pelo Chefe dos Animais, pelo Magister, pelos Tunos e pelos Bagatunos, ainda que estes necessitem da supervisão de um Tuno.


> Os cargos existentes são: Magister, Ensaiador, Sub-ensaiador, Chefe dos Animais, Secretário e Tesoureiro e tendo como objectivo, a divisão de tarefas, a profissionalização da tuna e um maior envolvimento dos tunantes nas tarefas da tuna.